Investigações são da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) e a Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE).

A Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu um inquérito para investigar um perfil em rede social que exibe animais silvestres e domésticos ao lado de armas como fuzis. As imagens de cães, tucanos, macacos e outros bichos ganharam destaque após viralizar na internet.

As investigações são da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) e a Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE). A informação foi confirmada ao g1 por Marcos Amin, delegado titular da DRE.

Os policiais fazem diligências para tentar identificar a propriedade ilegal dos animais.

“Sempre foi comum esse tipo de coisa com a exibição de traficantes. A DPMA está sempre investigando situações que podem caracterizar crime contra fauna e maus-tratos”, disse o delegado Uriel Alcântara, titular da DPMA.

Nas fotos, os animais aparecem ao lado de armas como fuzis e pistolas e, em alguns casos, as imagens possuem referências de facções criminosas às quais os supostos donos pertencem. As legendas destacam as comunidades onde os animais seriam criados.

Após a repercussão das imagens, a página que postava as fotografias saiu do ar.

Segundo Reynaldo Velloso, presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB-RJ, a autorização do Ibama que é pedida para a posse de animais silvestres, mais do que uma exigência da lei, é porque estes animais não foram domesticados. O lugar ideal é a natureza, caso eles tenham condições de retorno, ou então centros de tratamento especializado.
“Cada caso tem que ser analisado separadamente pelo Judiciário, vendo as condições dos animais, a possibilidade de reintrodução na natureza e a de realização dos procedimentos de retorno ao ambiente”, disse Velloso.
Fonte: Portal G1  –   23/3/2022 –  Jornalista  Cristina Boeckel