Mesmo com a vitória do “não” no plebiscito que chamou a população de Petrópolis a opinar sobre a permanência da tração animal nas charretes que fazem passeios turísticos, o fim desse serviço ainda não tem data. Em reunião realizada nesta quarta-feira na prefeitura, foi criada uma comissão para estudar o processo de retirada dos animais das ruas, e a sua substituição por um serviço que seja sustentável e ao mesmo tempo conquiste a simpatia dos charreteiros. A opção mais viável até o momento é a substituição das charretes por carros elétricos. O problema é saber de onde virão os recursos para a aquisição dos veículos.
A prefeitura já anunciou não ter condições de custear a compra dos carros elétricos. O prefeito Bernardo Rossi havia tentado financiamento junto ao Ministério do Turismo, mas foi informado que a pasta não investe nesse tipo de atividade. Segundo a prefeitura, há um déficit de caixa de R$ 685 milhões, o que inviabiliza o projeto.
Presentes à reunião, a presidente do conselho diretor do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, Elizabeth MacGregor, e o presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB- RJ, Reynaldo Velloso, disseram que ficou acertado o fim da atividade das vitórias (charretes) com tração animal em 31 de dezembro.

Fonte: Portal Meio Ambiente UERJ  –  25/10/2018.

Disponível em: http://www.meioambienteuerj.com/?fbclid=IwAR3BfKMgjKio2RU9qF1cjgHOx81Avnou7Nsq4TVPqP5bP4efZI7KMHCLnIo