Encontro reúne às 14h desta quarta-feira (24) integrantes da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB e da Prefeitura.

Nesta quarta-feira (24), às 14h, acontece uma reunião entre a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Prefeitura de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, para negociar uma forma de substituir as charretes. A população decidiu pelo fim da tração animal nas charretes no plebiscito realizado neste domingo (7) durante o primeiro turno nas Eleições 2018.

A princípio, a proposta é que as charretes sejam substituídas por veículos sustentáveis.

Reynaldo Velloso, presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB, explicou que, para garantir esses veículos ao charreteiros, será necessáiro o apoio da iniciativa privada e da Prefeitura.

Ele explicou que, antes do plebiscito, foi protocolado um termo garantindo que o Fórum Nacional de Defesa Animal receba os cavalos dos charreteiros.

Ainda de acordo com Reynaldo, se as negociações forem positivas com empresas privadas,  os charreteiros que entregarem os cavalos terão, possivelmente, direito a uma charrete elétrica. “Não podemos prometer nada, tudo depende das conversas entre a Prefeitura e as empresas privadas”, finalizou.

Plesbiscito

A população de Petrópolis decidiu pelo fim da tração animal nas charretes no plebiscito realizado nodomingo (7) durante o primeiro turno nas Eleições 2018. Os votos válidos contra o uso dos cavalos na atividade turística representaram 68,57 %, enquanto 31,43 % votaram a favor, segundo a Justiça Eleitoral.

Dos 170.781 votos válidos, 117.113 foram contra a atividade e 53.668 a favor. Os votos brancos somaram 8.155, enquanto o total de nulos foi de 5.732.

O plebiscito foi convocado pela Câmara de Vereadores e a votação ocorreu nas urnas.

Polêmica

As charretes, também chamadas de vitórias, são alvo de polêmica em Petrópolis, o que levou o vereador Meireles (PP) a pedir o plebiscito. Segundo ele, esta era uma maneira de decidir a questão de forma democrática.

O grupo que é contra a permanência do meio de transporte afirma que os animais são maltratados e não trabalham em condições adequadas, ficando expostos ao tempo e sujeitos a situações como a que aconteceu durante um temporal de granizo, que fez com que os animais saíssem correndo em meio aos carros no Centro da cidade.

Já quem é a favor da atividade diz que se trata de uma importante ferramenta turística, além de ser uma característica cultural da cidade, uma vez que a atividade é exercida há mais de 100 anos.

Em setembro, o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) chegou a abrir um processo para decidir se reconhece as “vitórias” como bem cultural e imaterial. Mas, durante uma reunião no Rio com protetores de animais, charreteiros e vereadores da cidade, o Inepac decidiu aguardar o resultado do plebiscito para dar continuidade ao processo.

Fonte: Portal G1/Região Serrana  –  24/10/2018.

Disponível em: https://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/2018/10/24/reuniao-em-petropolis-rj-vai-negociar-substituicao-de-charretes-por-veiculos-sustentaveis.ghtml